sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Abertas as fronteiras da Lusofonia

O Rouxinol e o Imperador - Macau -China 

Nesta segunda feira, 17, a partir das 19 horas, no Café Literário “Genu Moraes”, a Coordenação do FestLuso e Grupo Harém de Teatro lançam, oficialmente, o 6º. Festival de Teatro Lusófono. Em sua sexta edição, o FestLuso abre as chancelas às línguas, linguagens, falas e vozes lusófonas e amplia a territorialidade do Teatro Sem Fronteiras.

O 6º. FestLuso acontece de 24 a 30 de agosto e espalhará arte e cultura, de tronco comum lusófono, para ser consumido por Teresina, nas Casas de espetáculos Theatro 4 de Setembro, Espaço Trilhos/Teatro Estação, Teatro do Boi (Matadouro); na Praça Pedro II à Mostra Teatro de Rua e, atravessando o Velho Monge, instala barraca de atos e desatos cênicos também em Timon, no Maranhão.

O FestLuso 2015 tem o patrocínio do Armazém Paraíba. A Produção é do Grupo Harém de Teatro 30 Anos. O Apoio Cultural chega através da Casa de Portugal em Macau; Sistema Estadual de Incentivo à Cultura SIEC; Secretaria de Estado da Cultura do Piauí e Piauí Governo do Estado.

Na segunda feira, será apresentada ao público lusófono a Programação oficial que preencherá de alegria contagiante e interações estéticas. O diverso conspirado ao universo da Lusofonia, o mapa de ações aos espetáculos, programa formativo (oficinas e palestras), roteiros da felicidade planejada pelas dramaturgias produzidas ao palco nacional da Cena Lusófona aproximada.

A capital do Teatro do mundo Lusófono é logo aqui e ali e alhures, Teresina Piauí Brasil. Pelos palcos, tablados, Praça e Salas de recepção cênica locais passarão os Grupos e Cias. Cênicas, Harém de Teatro (Teresina, Piauí); Teatro do Kaos (Cubatão, São Paulo); Cia. de Teatro Dadaísta (Luanda, Angola); Grupo de Teatro Lareira/Chão de Oliva (Maputo, Moçambique); Teatro Art’Imagem (Porto, Portugal); Chão de Oliva (Sintra, Portugal); Grupo de Teatro Pesquisa (Teresina, Piauí).

Também endossam tempo de felicidades teatrais, Piauhy Estúdio das Artes (Teresina, Piauí); Elisa Vilaça (Macau, China); Rapha SantaCruz Produções Artísticas (Recife, Pernambuco); Grupo Oficina de Teatro Procópio Ferreira (Teresina, Piauí); A Outra Cia. de Teatro (Salvador, Bahia); Humanítas Grupo de Teatro (Timon, Maranhão); Teatro do Duplo (Rio e Janeiro, RJ/Parnaíba); Grupo de Teatro do Centro Cultural Português IC Mindelo (Mindelo, Cabo Verde).

E completam a Festa da Lusofonia o Grupo Teatro de Caretas (Fortaleza, Ceará); Mamulengo Fantochito (Teresina, Piauí); Cia. Dragão 7 de Teatro (São Paulo, SP). 

No Programa Formativo, de Oficinas e Palestras (práxis Oficina Teatro de Rua, Práticas de Rua, Performances, intervenções e pensamentos, Formas de habitar a cidade) atomizam arte e cultura à comunidade o Grupo Caretas de Teatro de Rua (Vanéssia Gomes, Fortaleza, CE); A Outra Cia. de Teatro (Luiz Antonio Sena Junior, Salvador, BA); Teatro Art’Imagem (Daniela Pêgo, Porto, Portugal); Projeto Vozes da Terra/Museu de Marionetas de Macau (Palestra com Elisa Vilaça, Macau, China) e Teatro Extremo de Almada (Performance Multidisciplinar, facilitada por Fernando Jorge Lopes, Almada, Portugal).

E, na segunda feira, 17, é só o pontapé inicial desse Grande encontro de línguas do tronco comum de terras e fronteiras abertas à Lusofonia. Cumpra sua Lusofonia, curta o FestLuso 2015.

Serviço:
Lançamento do FestLuso 2015
dia 17 de agosto
às 19 horas
no Café Literário “Genu Moraes”
Fronteiras Livres: Entradas e bandeiras lusófonas Francas!

Nenhum comentário:

Postar um comentário